A Maratona 2013 chegou!

A proposta é de tirar o fôlego. Uma maratona de livros de banca.
Um romance por mês, cada um com um tema diferente.
Começando em abril e indo até março de 2014.

 photo textoinicial_zpsdaf5f322.png

Elizabeth Graham - À beira-mar, em Acapulco - Sabrina 145 - Resenha da Fabiana Luchete

2 comentários
Laurel tinha juventude, beleza, dinheiro, posição social... Só não tinha o amor de Diego, e isso era tudo o que ela queria!
Da varanda de sua mansão em Acapulco, Laurel se emocionava com a vista daquelas praias ensolaradas e românticas, sentindo que não podia haver lugar no mundo mais lindo que aquele. Quem a visse, diria que ali estava uma mulher de sorte. Era a esposa de Diego Ramirez, um mexicano rico, viril e influente, cobiçado por morenas ardentes... No entanto, Laurel não era feliz, porque Diego tinha se casado com ela apenas por orgulho e porque ela era americana e loira, como a mãe que ele havia perdido muito cedo. E, por mais que Laurel o amasse, jamais conseguiria arrancá-lo dos braços de Francisca, a quem ele adorava!

O romance é uma graça, tem partes leves e agradaveis como em outras que deu muita raiva, Diego tem uma paciência muitoooo grande, porque para conquistar a mocinha que é uma chata e ainda Por cima é virgem e está noiva de outro...

Laurel é uma moça que é independente, tem seu pai preso e é pressionda por Diego para um casamento Rápido para soltar seu pai. Parte engraçada: os dois depois do casamento estão na praia embaixo de um coqueiro ele meio que força ela para os finalmentes, porque não tiveram ainda sua primeira relação depois do casamento apressado. E ele descobre que é virgem no meio da transa e cai literalmente em cima da moçinha um coco...rsrsrs

Ela perde a memória e não se lembra de nada do seu passado. Seu pai morre na prisão. Parte ruim. Depois tem o encontro com seu ex-noivo que foi um tédio...rsrrs

Ah!!! Como sempre nossa mocinha foge e  depois tem o final que não é uma surpresa, né?

Gente!!! Onde essa autora foi arrumar isso do coco cair na cabeça da mocinha??? Rsrsrs

Abçs.
Se você gostou, compartilhe!
Digg it StumbleUpon del.icio.us Google Yahoo! reddit

2 Response to Elizabeth Graham - À beira-mar, em Acapulco - Sabrina 145 - Resenha da Fabiana Luchete

30 de julho de 2010 18:23

Gente, faz tanto tempo que eu li esse livro que é melhor nem comentar (rsrsrs)! Acho que foi um dos primeiros romances de banca que li na vida e foi muito legal encontrar uma resenha dele aqui. Engraçado como eu lembrei da história na hora!

Essa do coco foi demais, prêmio jerico do ano pro Diego Ramirez (A Beta, do Literatura de Mulherzinha é quem ia gostar de fazer o ranking desse premio)!

Um abraço a todos.

15 de maio de 2017 23:01

Não me lembro de ter me estressado tanto com uma “mocinha” como essa tal Laurel, viu! A fulaninha se achava a última coca cola do deserto, “a” gostosa do pedaço, toda cheia de marra, arrogante, nariz empinado... Diego pode não ter agido da maneira mais normal, penso que ele aproveitou a chance que apareceu, para ele foi amor à primeira vista. Diego era um homem bom, que por sinal queria realmente ajudar Laurel e seu pai, do qual se tornou amigo... Mas, a imbecilzinha só enxergava o seu próprio umbigo, pra quem foi educada num colégio de freiras o egoísmo, a intolerância saltava aos olhos... Ela me deu tanta raiva que torci para que o Diego enfeitasse a testa dela de verdade com muitos e muitos chifres, porque essa merecia, ahh se merecia... Acho que Diego fez uma péssima escolha, deveria ter valorizado mais a Francisca e ficado com ela!

Postar um comentário