A Maratona 2013 chegou!

A proposta é de tirar o fôlego. Uma maratona de livros de banca.
Um romance por mês, cada um com um tema diferente.
Começando em abril e indo até março de 2014.

 photo textoinicial_zpsdaf5f322.png

Lynn Kurland - Entre dois Mundos - CHE 285 - Resenha da Hanne Lúcio

3 comentários

Inglaterra, 1227
Uma paixão mais forte que as muralhas do castelo...
Jake Kilchurn corre o mundo em busca de pedras preciosas para suas criações exclusivas, e é durante uma viagem ao castelo de Seakirk que ele ouve comentários sobre a beleza eterna de uma jovem que viveu séculos atrás.
Amanda de Piaget está atarefada com o que de melhor sabe fazer - esquivar-se de seus pretendentes - quando sé depara com um homem diferente de todos os outros. Ele está inconsciente e vestido de um modo bastante incomum. Ao contrário dos outros cavalheiros que visitam o castelo, Jake não sabe nada sobre ela, e é por Jake que Amanda descobre-ser estranhamente atraída.
A magia do tempo fez com que ambos se encontrassem, e somente a magia do tempo fará com que se vejam livres daqueles que tensionam separá-los...


Considerações: Estória cativante, empolgante e apaixonante! 

Gosto bastante de estórias sobre viagem no tempo, principalmente quando o mocinho ou mocinha vão parar no passado, onde tudo é diferente, as crenças e valores são outros, o jeito de viver é mais simples e ao mesmo tempo, mais complicado...
A mocinha é Amanda DePiaget, uma dama nobre da época medieval, lindíssima, inteligente, rica, vive rodeada de pretendentes que só estão interessados em sua fortuna. Ela rechaça a todos, mas sabe que em um momento ou outro terá de ceder ao homem escolhido por seu pai. Assim, vive meio desolada, arquitetando um plano mirabolante para fugir e definir seu próprio futuro.
O mocinho Jackson, mas conhecido por Jake, é bonito, bem sucedido designer de jóias, rico, além de ter um bom coração. É desprezado por seus familiares e vive por si só. Ao tentar entregar documentos a um possível futuro cliente, sofre um acidente e ao acordar encontra-se preso no século XIII.
Pode-se dizer que os dois apaixonam-se a primeira vista, isso porque um enxerga no outro mais do que os olhos podem ver. O problema é que na era medieval, ele é pobre, sem título e o pior de tudo, um mercador... Enfim, as possibilidades deles ficarem juntos é quase inexistente.
Um dos pontos positivos do livro é a relação entre os irmãos DePiaget. Todos amam Amanda e tentam ajudá-la em tudo, mesmo que muitas vezes não concordem ou finjam não concordar. É lindo ver como o irmão Montgomery a protege, a apóia, a ama. Entre todos os irmãos, a ligação deles é a mais forte. Sem duvida, o meu preferido. Espero que ele tenha uma estória só para ele!
Outro irmão que me cativou foi Robin, o irmão mais velho, melhor espadachim (só perdendo para o pai), o mais irritado e mais irritante... tem um humor ácido, sombrio e vive zombando.
Mas o que realmente nos deixa chocadas é Nicholas. Ele e Amanda não são irmãos de sangue, somente de criação, mas ele é apaixonado por ela (ou pelo menos pensa ser), inclusive se declara e a pede em casamento. Num acesso de fúria quase mata o mocinho. Ele não vai com a cara de Jake e é o único dos irmãos a se opor ao relacionamento dele com Amanda.
Após saber o que precisa fazer para ter a amada como esposa e com a ajuda dos futuros “cunhados”, que o ensinam a lutar, montar a cavalo, falar o idioma local, entre outras coisas; Jake precisa voltar ao futuro para pegar sua fortuna e suas pedras preciosas a fim de comprar um título junto ao rei e assim conseguir a mão de sua dama, junto ao pai desta.
O que ele não esperava é que ao voltar à sua época seria mantido trancafiado, sedado num manicômio, considerado legalmente morto, teria sua secretária presa contra a vontade em um hospital e estaria praticamente sem dinheiro algum... tudo isso por ordem do próprio pai.
Quando consegue acertar tudo e volta para Ardane, não encontra sua amada esperando por ele. Pelo contrário, ela está enclausurada num convento, sofrendo maus tratos, sendo açoitada, passando fome, teve seu cabelo cortado e o pior, está prestes a ser casar com um homem vil.
Mas ele não desiste e com muita persistência consegue salva-la, leva-la em segurança para casa, domar ao pai dela (tarefa extremamente difícil), conseguir que o rei lhe desse um título e terras e o mais aguardado; casar com a espivitada mocinha.
Enfim, uma estória de amor repleta de percalços, dificuldades, amigos dispostos a ajudar (deste e do outro século), fantasmas guardiões, familiares sempre a postos e um amor mais que verdadeiro.
Recomendo!!!!
Se você gostou, compartilhe!
Digg it StumbleUpon del.icio.us Google Yahoo! reddit

3 Response to Lynn Kurland - Entre dois Mundos - CHE 285 - Resenha da Hanne Lúcio

18 de agosto de 2010 17:14

Oie

Poxa o seu livro foi melhor que o meu, fiquei tão frustrada com a minha escolha nem animo pra resenha eu tenho, mas a sua ficou show.

Beijos

20 de agosto de 2010 21:32

Pois é, é triste mesmo quando a gente se encanta por uma resenha e quando lê o livro vê que não era nada daquilo que a gente imaginava. Frustração é pouco. Mas leia esse, é bem bacana!

26 de agosto de 2010 21:02

Parece ser legal.... a única parte que me deixou com o pé atrás foi a do "Quando consegue acertar tudo e volta para Ardane, não encontra sua amada esperando por ele. Pelo contrário, ela está enclausurada num convento, sofrendo maus tratos, sendo açoitada, passando fome, teve seu cabelo cortado e o pior, está prestes a ser casar com um homem vil." Deprimi um pouquinho, rs.... mas parece ser uma boa pedida. Ótima resenha!!!

Postar um comentário