A Maratona 2013 chegou!

A proposta é de tirar o fôlego. Uma maratona de livros de banca.
Um romance por mês, cada um com um tema diferente.
Começando em abril e indo até março de 2014.

 photo textoinicial_zpsdaf5f322.png

Resenha Hanne Lúcio - Charlotte Lamb - Retrato de Amor - Sabrina 791

0 comentários

RETRATO DE AMOR
Dreaming
Charlotte Lamb


Luisa estava disposta a esperar o tempo que fosse preciso para fazer esse homem amá-la perdidamente!
"Não minta para mim", Zachary gritou. "Sei o que vejo no espelho! Nenhuma mulher vai desmaiar ao me ver, exceto de susto, como aconteceu com você!"
Zachary West estava furioso e amargo. Aquele acidente automobilístico, além das cicatrizes na face, deixara marcas profundas em seu coração. Luisa, porém, sabia que só o tempo curaria todas as feridas.
Enquanto isso, guardaria seu amor por Zachary fechado no peito. Tudo teria seu tempo certo. E o tempo de amar e ser amada em breve faria parte do presente.

Zachary West é um pintor renomado, de muito sucesso, bonito e sexy, que não mais acredita nas mulheres. É um ermitão, que vive sozinho, e afastado de tudo e todos. Só vive para seu trabalho.
Ao viajar de sua propriedade à Londres para levar alguns quadros para serem expostos, é interrompido por uma “visão”, que por um momento ele acha ser um fantasma, mas depois reconhece ser uma moça; e após esses momentos surreais sofre um grave acidente de carro, sendo queimado pelas chamas, ficando com horríveis cicatrizes na face.
Se o cara antes já era um grosseirão, agora então...
Ele é socorrido e levado ao hospital Whinbury, onde conhece Luisa Gilbey, a enfermeira chefe da ala dos queimados, que por estranhas coincidências da vida, é filha do homem que provocou seu acidente.
Luisa que é uma moça doce e prestativa ao descobrir que seu pai quase matou o rapaz, sente-se extremamente culpada, afinal o pai estava dirigindo em alta velocidade por causa dela e suas exigências infantis.
Ao saber que o pai pode perder tudo o que tem a fim de pagar a indenização para Zachary, Luisa vai ao seu encontro, tentando negociar, fechar um acordo; e acaba ouvindo o que não quer.
O fato é que no processo de tentar ajudar o pai, Luisa e Zachary se tornam “conhecidos”, contando segredos, desabafando um com o outro, ajudando-se até que Luisa percebe estar apaixonada pelo pintor, e ele obcecado em encontrar a garota vista momentos antes do acidente.
O que os dois não imaginam é que a garota do acidente sempre esteve perto, pronta a ajudá-lo e só esperava que ele a reconhecesse.


O casal tem química e combinam bem. O enredo é bom, criativo; só achei que a autora podia ter feito o suspense durar mais, o que daria mais ação e emoção à história.
É um florzinha, por isso sem cenas hots, ou emoções mais profundas. Mas como passatempo vale à pena a leitura!

Resenha da Iara Paula - Sandra Brown - Paixão Explosiva - Bestseller 06

0 comentários
 
A descoberta do prazer e da paixão selvagem! 
Generosa, Jenny Fletcher punha em segundo lugar os seus próprios sonhos e necessidades,
e em primeiro os de seu noivo, Hal, um homem mais comprometido com uma causa do que com ela. Na véspera de sua viagem para a América Central, ele lhe deu o que Jenny mais queria na vida...uma noite de paixão. Foi seu último presente.

Cage Hendren contrastava em tudo com o irmão, Hal. Ovelha negra da família, ele só tinha ternura por Jenny.

Mas ela sempre o achara selvagem e implacável demais... até que Cage lhe mostrou o lado selvagem que ela mesma não sabia que tinha dentro de si. 

E depois de ser iniciada na arte de sentir prazer, Jenny jamais poderia ser outra vez a mulher de antes...


Até que gostei da história, embora deva adimitir que devido ao grande número de resenhas positivas que li a seu respeito, eu esperava mais!

Jenny foi adotada aos quatorze anos, quando perdeu seus pais, pela família Hendren, e conforme o passar do tempo foi sendo moldada pelos Hendrens para servir aos seus propósitos, sendo o maior deles o casamento de Jenny com o querido Hal, o caçula da família e o preferido dos pais. Jenny, apesar de mais tarde vir a descobrir que não amava Hal como deveria, aceita esse destino, acredito eu que mais como forma de gratidão pelo acolhimento da família. Hal seguindo a seus propósitos religiosos, decide partir em missão para a América Central para ajudar refugiados políticos.

Jenny consciente do perigo dessa missão e em último ato de desespero decide se entregar a Hal para tentar dissuadí-lo da ideia de se expor a esse perigo. Só que na manhã seguinte ao acordar, ela percebe que de nada adiantou seu plano de sedução, pois Hal havia ido embora mesmo assim.

Cage é o filho mais velho dos Hendrens, e é também considerado por eles a ovelha negra da família.
Rebelde, não liga muito pra convensões. Tem uma carreira bem sucedida no ramo de escavação petrolífera e é também um sedutor por natureza. Não pode ver um rabo de saia, que já entra em ação.

Mas no fundo esse jeito porra loca e essa vida desregrada só servem pra esconder o sofrimento pela  rejeição dos pais, que o preterem descaradamente em favor de Hal!
Abaixo, uma das cenas que comprovam esse fato logo após o enterro de Hal, e que mais me inflamou de indignação:

... --- Hal teria ficado o tempo todo ao meu lado numa situação destas.
    --- Eu não sou Hal, mamãe.
    --- E acha que não sei disso? Você nunca chegou aos pés de seu irmão.
    --- Por favor, Sarah --- pediu Jenny, escorregando para a beira da poltrona.
    --- Hal era tão bom, tão bom e tão doce. O meu filho querido. --- Os ombros de Sarah se sacudiram, e seu rosto se contraiu numa nova crise de choro. --- Se Deus tinha de levar um dos meus filhos, por que escolheu Hal e deixou você?
    Jenny levou a mão à boca
    --- Oh, meu Deus! ...
                                                                                                                                 Págs - 113/114

Juro que tive vontade de matar a mãe dele nesse momento, e o pai também, por apoiá-la nesse discurso.
Outra coisa que Cage esconde a sete chaves, são seus sentimentos por Jenny. Apaixonado por ela desde sempre, ele sufoca essa paixão por acreditar que não é digno do amor dela. Então abre mão desse sentimento acreditando que ela seria mais feliz com seu irmão.

Mas todo esse sentimento reprimido vem a tona na véspera da viagem de Hal, pois ao passar pelo quarto de Jenny e ouvi-la chorar ele não resisti ao impulso de consolá-la e assim acaba fazendo amor com ela.

A confusão toda se dá pelo fato de Jenny, que estava meio dopada, acreditar que tinha transado com Hal, e Cage com medo de que ela não o perdoe nunca, decide se abster de dizer a verdade, mesmo disposto a conquistá-la após aquela noite! Enfim, Cage é um fofo. Um homem que qualquer mulher gostaria de ter. As coisas que ele faz pra conquistar Jenny me deixaram roxa de inveja e mais desejosa do que nunca de ter um homem assim:
companheiro, amigo, meigo, sedutor... sem mencionar as qualidades físicas que são de tirar o fôlego.

Jenny é meio mosca morta no início, mas quando decide se rebelar se mostra de uma personalidade incrível e por isso acabei me simpatizando por ela também!

Apesar de não ter sido um dos melhores livros que li, devo adimitir que a história é boa e que acaba prendendo a atenção até o fim!

Vale a pena ler! Recomendo!

Resenha da Mônica Monte Souza - Em Nome da Honra - Lucy Monroe - Jessica 164

4 comentários

Em nome da honra – Lucy Monroe

Uma noite de núpcias… sem casamento… Angele desejava que seu noivado com o sheik Zahir terminasse em casamento. E, ingenuamente, pensou que seu futuro marido estivesse também se guardando para ela. Mas fotos comprometedoras chegaram ao seu conhecimento e estilhaçaram seus sonhos pueris. Agora, ela não poderia se tornar a esposa de Zahir e suportar uma união sem amor. Angele teria de deixá-lo partir… mas sob uma condição. Mesmo sem desposar Angele, Zahir concordaria em ter com ela a noite de núpcias com a qual ela tanto sonhara?

A história até que é boa e faz parte da Série Noivas Reais. Angele tinha sido prometida em casamento para Zahir quando tinha 13 anos de idade e sempre foi apaixonada por ele, porém perto deles oficializarem o noivado, ela recebe umas fotos comprometedoras do noivo com uma atriz alemã e fica passada.

A Angele é de uma ingenuidade absurda por esperar que o pretenso noivo se guardasse para ela como ela se guardava para ele, mas depois que ela abriu os olhos, mas como é gamada nele, resolve livrá-lo do compromisso do noivado para que ele possa ter a liberdade de volta,  desde que eles tivessem a noite de núpcias.
Nesse momento quem foi ingênuo foi o Zahir que achava que se eles fossem pra cama, ela continuaria o noivado como se nada tivesse acontecido, pois na cabeça dele, independente do que tivesse acontecido, o casamento era uma certeza. Portanto ele é obrigado a correr atrás do prejuízo e tentar reconquistar a noiva. É cômico vê-lo procurá-la no trabalho dela e a secretária, além de ficar apavorada com a presença dele, acabar deixando escapar que as flores que ele mandava pra ela todos os dias eram descartadas como se não fossem nada.

Até aí, considerei a história ótima, porém a qualidade cai bastante, porque a Angele fica grávida e ela volta muito facilmente para o Zahir em virtude da gravidez e mesmo deixando claro que vai se casar por causa do bebê, ele já tem o jogo ganho e mais uma vez quem dá o primeiro passo para eles se acertarem é ela.
E a declaração de amor dele é alguma coisa qualquer nota e só acontece porque ela “adivinha” que ele é apaixonado por ela. Portanto, posso dizer que, apesar de ter começado de maneira excelente, a parte final do livro deixou muito a desejar.
Agora saindo um pouquinho da história em si, uma reclamação recorrente dos leitores são os erros de digitação nas histórias e essa realmente tem muitos erros absurdos: abeta ao invés de aberta; menos ao invés de menor; uma frase construída assim: "Você só HOUVE o que quer ouvir"; em outra frase ao invés de estar "Não acho" está "Na acho", além de outras coisinhas mais.
Apesar de eu adorar romances de banca, sei que esse tipo de leitura é vítima de muitos preconceitos, porém independente das opiniões dos outros, não se pode negar que é uma forma de informação e entretenimento, mas quando se lê um livro com tantos erros grosseiros, o lado da informação meio que não se justifica.

Resenhas - Agosto/2012: Contemporâneo

1 comentários


Contemporâneo


Tema da Maratona de Banca 2011, o tema volta esse ano, no mês de Agosto 2012.

Um tema super fácil, a maioria das publicações da Harlequin Books Brasil são de livros contemporâneos como:  Rainhas do Romance, Desejo, Paixão, Modern Sexy, Harlequin Dueto,...

A Nova Cultural atualmente está publicando só históricos e sobrenaturais, mas se forem aos sebos, a extinta Sabrina tinha publicações contemporâneas. Indo mais para o passado você vai encontrar: Momentos Íntimos e algumas Julias.