A Maratona 2013 chegou!

A proposta é de tirar o fôlego. Uma maratona de livros de banca.
Um romance por mês, cada um com um tema diferente.
Começando em abril e indo até março de 2014.

 photo textoinicial_zpsdaf5f322.png

Lorde do Deserto - Diana Palmer - Resenha de Ana Claudia Santos

2 comentários

Imagine que você está super empolgada, pois vai com uma amiga em sua primeira viagem internacional  e logo no  início da viagem  sua amiga  desiste de tudo e volta para casa para ir  ajudar um antigo amor. Deixando você sozinha num país estrangeiro e completamente diferente do seu...

É isso que acontece com Gretchen Brannon em Lorde do deserto. Logo que a amiga Maggie descobre que o homem pelo qual está apaixonada ficou cego quando trabalhava num operação policial ela resolver voltar imediatamente para o Texas, deixando que Gretchen assuma seu lugar num emprego em Quawi como  assistente pessoal do sheik deste pequeno  país árabe.

Tudo em sua vida muda quando no hotel em Marrocos Gretchen deu um encontrão num homem distinto e elegante, trajando um terno de seda acinzentado: Philippe Sabon. Logo  que se conhecem  Philippe leva Gretchen a passeios e   entre jantares e flertes  incentiva a moça  a aceitar o emprego no lugar da amiga. E adivinhem que é o sheik para quem Gretchen vai trabalhar? Ninguém mais que o próprio Philippe, o  lorde do deserto.

No decorrer dos dias, o desejo e a atração entre eles aumenta  e Gretchen descobre que Philippe tem dois grandes problemas em sua vida: nove anos de impotência, desde que numa viagem de negócios  na palestina pisou numa mina e ficou gravemente ferido, além disso seu inimigo Kurt  Brauer fugiu de uma prisão na Rússia e está perseguindo não só Philippe como também Gretchen que agora é sua noiva.

Chegando ao  Quawi, Gretchen fica deslumbrada com o palácio, conhece o engraçado pai de Philippe e depois de uma semana no palácio, todos saem em caravana no deserto onde será realizado o casamento, mas Gretchen é sequestrada por Brauer  no deserto, sendo   que o vilão é padrasto de Brianne, um antigo amor de Phillipe.  A semelhança entre as duas moças confundiu  Brauer e decepciona Gretchen que desconfia que o casamento entre ela e lorde do deserto vai ocorrer apenas pelo fato da semelhança entre ambas. O resgate de Gretchen com certeza é uma das partes mais emocionantes do livro.

Finalmente o casamento acontece e eles celebram com uma maravilhosa noite de amor no deserto. Isso mesmo! Philippe consegue consumar o casamento e já considera isso um milagre em sua nova vida com Gretchen. As noites são verdadeiras aulas de como fazer amor para a inexperiente Gretchen e também para Philippe que  descobre o poder de  sua virilidade ao lado da mulher, mas ao retornarem ao palácio algo incomoda o Lorde do deserto e ao mesmo tempo Gretchen fica perturbada com a atenção dada  a Brianne. 
 
Philippe ainda não superou seus temores e cicatrizes não só físicas como emocionais. Dessa forma, após vários desentendimentos  e com a certeza que Phillipe ama Brianne, a nossa  heroína decide  voltar para Jacobsville junto com seu guarda-costas Hassan e após um tempo descobre que está grávida.

Logo que fica sabendo das novidades, Philippe vai imediatamente a Jacobsville  eles se reconciliam, pois o moço afirma que nunca desejou  ninguém da mesma forma que  Gretchen.  Assim há uma nova  e emocionante cerimônia de casamento no Quawi, mas  o vilão Brauer aparece novamente, gerando a maior confusão, mas dessa vez é derrotado, por um grupo de mercenários  e  agentes amigos de Marc , irmão de Gretchen que  também  ajuda a derrotar o vilão. Após algum tempo  com o nascimento do bebê e a declaração  de amor de Philippe o casal encontra a verdadeira felicidade, deixando de lado os traumas do passado.
   
Considero o livro LORDE DO DESERTO, um clássico da literatura de banca! Escrito em 2000 é  com certeza um dos melhores livros de Diana Palmer, pois nele a autora consegue mesclar romance, aventura erotismo  e até mesmo humor num enredo bem elaborado e cativante. Há também elementos comuns nos diversos livros de Palmer: protagonista jovem, inocente e  pobre que encontra um homem mais maduro e rico. Ambos se apaixonam, mas sofrem   com impedimentos morais ou traumas geralmente de origem sexual, e este livro não foge da  regra. 

Além disso,  os livros de Palmer têm enredos interligados, sendo que a autora escreve diversas séries. Esses personagens  geralmente vivem em Jacobsville, no Texas ou têm alguma ligação   com a cidade. Diversos personagens de Lorde do deserto, são protagonistas de outros livros:

•    O irmão de Gretchen, Marc  é protagonista do livro A Última chance;
•    Maggie, a amiga de Gretchen é protagonista do livro Agonia e  êxtase;
•    Brianne e seu marido são protagonistas de Uma vez em Paris;
•     Kurt Brauer,  perseguidor de Phillipe e que sequestra Gretchen , é padrasto de Brianne.

Às  vezes é meio confuso,  existem outros personagens não citados que são protagonistas de outros livros, mas é muito legal ler um livro de Diana Palmer e descobrir que aquele personagem que fez “uma pontinha” em  Lorde do deserto  tem seu próprio livro e assim o leitor descobre  mais sobre o personagem.

Assim Lorde do Deserto é uma ótima leitura, com  garantia de um final feliz!

Resenhas para o mês de Abril: Sheiks

13 comentários


O tema do mês de abril é sheiks.

Arrogantes, dominadores, desconfiados e sensuais. O arquetipo do macho-alfa que pode até irritar o leitor, mas mexe com a fantasia feminina de que, ao final, vão ser domados através do amor. Viciantes!


Resenha Dulcy Silva - Michele Reid - O Destino de um sheik - Bianca 798

4 comentários

Ela pode salvar seu casamento... desde que fique grávida
Leona abandonou seu marido, o sheik Hassan, pois sabia que ele precisava de um filho, um herdeiro. Desde então sofre de saudade e anseia por voltar aos braços dele. Mas como poderia aplacar seus anseios e evitar suas longas noites de insônia se sabia que não conseguiria realizar o único desejo de Hassan? Hassan foi obrigado a aceitar a fuga de Leona. Mas quando soube que ela estava em perigo, resolveu raptá-la e trazê-la de volta ao seu reino. Do fundo do seu coração, sabe que quer Leona de volta para viver aquele amor represado em seu peito. Porém, uma angustiante pergunta paira em sua cabeça: porque ela o abandonou?


A história começa com o casal protagonista  Leona e Hassan separados.
Leona,  foi criada nos costumes ocidentais da monogamia, da independência feminina, tem uma  profissão é arquiteta. Casou-se com um homem de cultura diferente, onde gerar herdeiro é imprescindível, ainda maIs para um sheik. 
 O motivo da separação do casal foi a dificuldade de gerarem um herdeiro, e o apontamento dos seus conselheiros para que o sheik tome uma segunda esposa.Leona   não consegue aceitar dividir o esposo com outra mulher não agüentando a pressão e  com  diagnostico de esterilidade foge, abandonando o marido após cinco anos casamento, porém o amor entre eles prevalece.

As coisas acontecem sem muitas explicações e já nos é apresentado Hassan raptando sua esposa  Leona, pois ele sabe de há uma conspiração para sequestrá-la para forçá-lo a fazer acordos com outros sheiks.

Então quem rapta Leona é ele e o que em cinco anos eles não conseguiram gerar um herdeiro é conseguido em três semanas, apesar do diagnostico de infertilidade! Outro fato  irreal é o sogro a beira da morte, agoniando. Com a  confissão de sua gravidez e seus gritos para que ele viva o fato acontece: 

“Depois de um instante, a equipe de profissionais cuidava dela. Ela estava grávida! A marca vermelha no papel do teste confir­mava a gravidez. Sobre a cama, a alguns passos dali, Hassan viu que seu pai não estava sumindo diante dos seus olhos.Leona conseguira.” 

Bem há romance e entre pessoas casadas algo raro na literatura, há  festas e nenhuma cena que justifique que haverá o seqüestro ou  algo que prenda sua atenção. Quando o livro acabou pensei só isso? Cadê os conflitos, as superações?  Leitura rápida, bem leve...

Resenha da Anna Carolina Prata - Lucy Gordon - Fantasias no deserto - Julia 1122

4 comentários



Sinopse:

Como controlar o destino?...
A bela inglesa trouxera tanta sorte ao sheik Ahmed Ben Saleem que ele quis recompensá-la. Mas Frances o surpreendeu, recusando presentes valiosos. Tudo o que ela queria era entrevistá-lo para um artigo de jornal. Ahmed concordou... Com uma condição: Frances deveria acompanhá-lo de volta ao seu país. Frances pensava que o charmoso sheik fosse um homem gentil e generoso... Até que ele a aprisionou com suas concubinas! E ainda queria que ela passasse a noite em sua companhia! Era como um cenário extraído de As Mil e Uma Noites... Não podia ser real! Ahmed devia estar apenas criando fantasias para encantá-la. Mas... Estaria falando a sério quando a pediu em casamento?

Meus Comentários:

E vamos continuar com a Maratona de Banca, para esse mês de Abril, o tema escolhido foi “Sheiks”. Muitas pessoas não são muito fã desse estilo de romance, principalmente nós mulheres, já que, em muitos livros onde estes príncipes do deserto estão presentes a mulher é um ser inferior, fazer o que? É a cultura desse povo, coisa que eu acho absurda. E cá entre nós, se esses caras fossem tão bonitos como é retratado nos livros (kkkk). Não demorei muito pra escolher o livro, pois eu já estava louca pra lê-lo, depois de escutar a opinião de uma amiga.
Mas vamos falar um pouco dele...

Em “Fantasias no Deserto” conhecemos o príncipe Ahmed Ben Saleem, sheik do principado de Kamar e Frances Callam.

Frances é uma jornalista, especializada em reportagens biográficas. E Ahmed Bem Saleem era o homem que ela deveria pesquisar. Os editores sabiam que ela era imbatível em histórias envolvendo grandes fortunas. E Ahmed era um dos homens mais ricos do mundo. O homem é um mistério, ninguém sabe nada sobre a vida dele, exceto que é absurdamente rico. E nossa jornalista vai fazer de tudo para conseguir uma entrevista com esse sheik misterioso.

Mas as coisas não transcorreram do jeito que ela havia planejado. Ela fora ao cassino preparada para analisar o sheik, preparada para não gostar dele, para desprezá-lo. E não para se atrair por ele; o desejo era tanto, que ela se alarmou. Só foram seus olhares se encontrarem, para uma atração surgir. Era como se a mente dele estivesse em sintonia com a dela.

Para ele, ela lhe trouxe sorte. “Quando a vi no cassino, ali parada, senti alguma coisa mágica pairando no ar, me envolvendo, me encantando. E a partir daquele momento, tudo começou a dar certo para mim”. Frances acaba aceitando o seu convite, mas se o sheik Ahmed pensa que ela será uma mulher fácil de cair no seu jogo de sedução, ele está completamente enganado.

E no outro dia ela se apresenta como a reporte que lhe irá entrevistar. Ahmed não gosta disso e acha que ela o enganou. E o pior de tudo e o que me deixou completamente irritada é que ele não queria fazer a entrevista, só porque achava que essa função não é de uma mulher!

“Quero deixar bem claro que não falo de negócios com mulheres. Isso não é função de mulher... Não estou acostumado a considerar as opiniões femininas, e não vejo razão para começar agora. Na minha terra, as mulheres conhecem seu lugar e não discutem...”

“... Você conversou normalmente quando eu era apenas um objeto...”
“Claro. É para isso que as mulheres servem...”

Sabe eu tenho certo medo de ler livros sobre sheiks. Apesar de vivemos no século XXI, todos sabem que nesses países a igualdade entre sexos não existe. E como eu odeio essas diferenças, entre homem e mulher, às vezes esses livros me revoltam muito. Ele é arrogante, machista. Teve partes que eu tive vontade de socá-lo (kkk). Pensa que todas as mulheres são objetos para satisfazer seus desejos. E elas devem aparecem quando ele bem entender.

Mas Frances não se deixou ser intimidada. A vida daquele homem que gastava fortunas numa mesa de jogo estava envolvida num profundo mistério. E ela tinha tudo para desvendá-lo. Se, além disso, ele reconhecesse que a subestimara, ai sim o serviço seria completo.

Só que ele acaba enganando nossa mocinha. Acreditando que ia ter finalmente sua entrevista, ela o segue até seu país. E acaba virando uma de suas concubinas. Mas apesar de todas as discussões; a atração que ela sente pelo sheik é tão poderosa, que não queria mais lutar contra ele, queria apenas ficar com ele. Tudo o que ela queria, era ficar nos braços dele, para sempre. E isso era assustador. Mas acima de tudo, Frances queria a sua liberdade.

“Não posso amá-lo como sua prisioneira.”

“Mas não quero luxo, nem riqueza... Quero minha liberdade. É um direito.”
E por conta disto, mesmo ela o amando muito, como ele não queria lhe dar a liberdade ela vai embora. Era difícil acreditar no amor dele, já que se comportava com arrogância e tirania, ignorando as suas vontades.

Mas ele tinha medo da rejeição e nunca na vida precisou pedir nada. Como sheik ele nunca teve que pedir nada e todos seus desejos são atendidos. Ele a amava, mas seu modo de demonstrar esse amor era diferente do que Frances estava acostumada a ver. Mas se quisesse Frances ao seu lado, ele tinha que mudar alguns de seus pensamentos.

Apesar de ficar super irritada, com os pensamentos machistas dele, minha raiva foi amenizando (kkk). Ele só tinha problemas de pedir e medo de ser rejeitado. Mas graças a Frances ele consegue mudar. A autora do livro consegue passar muito bem os pensamentos de duas culturas completamente diferentes. Duas mentes diferentes, duas culturas diferentes, mas unidos pelo mesmo sentimento forte e puro que é o AMOR. O final foi lindo, perfeito. Um verdadeiro conto de fadas. Recomendo a leitura!

Sorteio mês de março

8 comentários
Total de 49 resenhas :) Para ver a numeração clique AQUI.

ATENÇÃO:

A partir de agora resenhas que serão postadas na Maratona de Banca deverão ser enviadas até o penúltimo dia do mês para que dê tempo de ser colocada no Add Link.

Livro a ser sorteado:


Coração marcado - Maggie Cox (2ªhistória do livro)

As cicatrizes que Eduardo carregava sobre o corpo eram apenas lembranças visíveis das coisas que havia deixado para trás ao sair do Brasil. Sempre evitando a exposição pública, ele preferia a companhia da solidão.
Então, por que havia contratado uma empregada? Ele jamais resistira a uma beleza abandonada! Marianne estava encantada com o acolhimento de seu chefe, por isso cedeu facilmente à tentação de se aninhar em seus braços. Eduardo, porém, escondia segredos sombrios e, quando chegaram ao Rio de Janeiro, era apenas questão de tempo até que ela descobrisse a verdade…


E a vencedora foi...


Photobucket

Parabéns,
Nataly Gonçalves!!!!

Mande seu endereço pelo contato do maratona de banca.